A Águia, órgão da Renascença Portuguesa, foi uma das mais importantes revistas do início do século XX em Portugal. No século XXI, a Nova Águia, órgão do MIL: Movimento Internacional Lusófono, tem sido cada vez mais reconhecida como "a única revista portuguesa de qualidade que, sem se envergonhar nem pedir desculpa, continua a reflectir sobre o pensamento português". 
Sede Editorial: Zéfiro - Edições e Actividades Culturais, Apartado 21 (2711-953 Sintra). 
Sede Institucional: MIL - Movimento Internacional Lusófono, Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa). 
Contactos: novaaguia@gmail.com ; 967044286. 

Donde vimos, para onde vamos...

Donde vimos, para onde vamos...
Ângelo Alves, in "A Corrente Idealistico-gnóstica do pensamento português contemporâneo".

Manuel Ferreira Patrício, in "A Vida como Projecto. Na senda de Ortega e Gasset".

Onde temos ido: Mapiáguio (locais de lançamentos da NOVA ÁGUIA)

Albufeira, Alcochete, Alcoutim, Alhos Vedros, Aljezur, Aljustrel, Allariz (Galiza), Almada, Almodôvar, Alverca, Amadora, Amarante, Angra do Heroísmo, Arraiolos, Assomada (Cabo Verde), Aveiro, Azeitão, Baía (Brasil), Bairro Português de Malaca (Malásia), Barcelos, Batalha, Beja, Belmonte, Belo Horizonte (Brasil), Bissau (Guiné), Bombarral, Braga, Bragança, Brasília (Brasil), Cacém, Caldas da Rainha, Caneças, Campinas (Brasil), Carnide, Cascais, Castro Marim, Castro Verde, Chaves, Cidade Velha (Cabo Verde), Coimbra, Coruche, Díli (Timor), Elvas, Ericeira, Espinho, Estremoz, Évora, Faial, Faro, Felgueiras, Figueira da Foz, Freixo de Espada à Cinta, Fortaleza (Brasil), Guarda, Guimarães, João Pessoa (Brasil), Juiz de Fora (Brasil), Lagoa, Lagos, Leiria, Lisboa, Loulé, Loures, Luanda (Angola), Mafra, Mangualde, Marco de Canavezes, Mem Martins, Messines, Mindelo (Cabo Verde), Mira, Mirandela, Montargil, Montijo, Murtosa, Nazaré, Nova Iorque (EUA), Odivelas, Oeiras, Olhão, Ourense (Galiza), Ovar, Pangim (Goa), Pinhel, Pisa (Itália), Ponte de Sor, Pontevedra (Galiza), Portalegre, Portimão, Porto, Praia (Cabo Verde), Queluz, Recife (Brasil), Redondo, Régua, Rio de Janeiro (Brasil), Rio Maior, Sabugal, Sacavém, Sagres, Santarém, Santiago de Compostela (Galiza), São Brás de Alportel, São João da Madeira, São João d’El Rei (Brasil), São Paulo (Brasil), Seixal, Sesimbra, Setúbal, Silves, Sintra, Tavira, Tomar, Torres Novas, Torres Vedras, Trofa, Turim (Itália), Viana do Castelo, Vigo (Galiza), Vila do Bispo, Vila Meã, Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Foz Côa, Vila Nova de São Bento, Vila Real, Vila Real de Santo António e Vila Viçosa.

sábado, 2 de julho de 2022

NOVA ÁGUIA nº 29: Capa, Editorial e Índice...

 


No vigésimo nono número da NOVA ÁGUIA, começamos por dar destaque a Lima de Freitas, uma das figuras maiores da cultura lusófona do século XX – sobretudo, nas artes plásticas, onde mais se notabilizou –, publicando uma série de desenhos e poemas de juventude, devidamente enquadrados por três ensaios e um testemunho, desenhos em que se antecipa já o artista que todos nós viemos depois a conhecer e a admirar.

Em 2019, por ocasião dos cinquenta anos do falecimento de António Sérgio, o Instituto de Filosofia da Universidade do Porto promoveu um Colóquio sobre a sua Obra. Publicamos aqui quatro dos textos então apresentados, que, no seu conjunto, expressam bem o quanto António Sérgio continua a ser, meio século depois da sua partida, uma figura polarizadora.

Figura ainda mais polarizadora, para não dizer fracturante, foi a de Olavo de Carvalho, entretanto falecido a 24 de Janeiro deste ano. Ainda em 2019, por ocasião do lançamento em Portugal da sua obra Aristóteles em nova perspectiva, foram apresentadas algumas perspectivas que, não ignorando toda essa polarização (sobretudo por razões políticas), procuraram ver mais além. Publicamos aqui seis dessas perspectivas então apresentadas – que, de facto, nos procuram dar uma visão mais ampla deste autor brasileiro.

Depois, evocamos uma dezena e meia de “Outros Vultos” – estes, mais consensuais – da cultura lusófona, nomeadamente de alguns que nos deixaram há pouco tempo – falamos de António Osório, Fernando Echevarría, José-Augusto França, José Carlos Rodrigues, Pedro Tamen e Manuel Ferreira Patrício (já em destaque no número anterior). Em “Outros Voos”, publicamos mais de uma dúzia de textos sobre as mais diversas temáticas e, em “Extravoo”, publicamos uma entrevista a Pinharanda Gomes, um dos Vultos de sempre da NOVA ÁGUIA.

De seguida, no “Bibliáguio”, damos destaque a algumas obras lançadas recentemente com a chancela do MIL – falamos, desde logo, de A Vida Imaginada: textos sobre teatro e literatura; Interrogação e Discurso: estudos sobre filosofia luso-brasileira e ibérica; A saudade na poesia lusófona africana e outros estudos sobre a saudade, de António Braz Teixeira; e de Os Irmãos Arriaga: Filosofia, História e Literatura, obra resultante do V Colóquio do Atlântico, entretanto lançada no final de 2021, no VI Colóquio, sobre “Antero de Quental e os seus Intérpretes”, a par de outra obra aqui apresentada: Estudos sobre Antero, de Joel Serrão. Isto sem esquecer os dois mais recentes títulos da Colecção NOVA ÁGUIA: A Via Lusófona V e Tabula Rasa III.

Por fim, na nova secção inaugurada no número anterior (“Moradas: Caderno Poético e Visual”), publicamos uma série de poemas de José Carlos Pereira, ilustrados por desenhos de Filipe Romão. Isto sem igualmente esquecer os outros poemas publicados ao longo deste número da revista (no “Poemáguio”), nem a recordação de alguns dos momentos mais marcantes no último semestre (no “Memoriáguio”). Em suma: prestes a chegar ao seu trigésimo número, a NOVA ÁGUIA continua, cada vez mais, a cumprir o seu voo, a sua promessa. Gratos a todos vós, por isso.

Editorial…5

O JOVEM LIMA DE FREITAS

DESENHOS & POEMAS…8

LIMA DE FREITAS EM ÉVORA | Joaquim Domingues…19

A ESTÉTICA SIMBÓLICA DE LIMA DE FREITAS | António Braz Teixeira…23

EXERCÍCIOS DE ESSENCIALIDADE E EXISTENCIALIDADES A PARTIR DE LIMA DE FREITAS E DE UMA SUA EXPERIÊNCIA OLEIRA EM PORCHES/ LAGOA (ALGARVE) | César Tomé…28

LIMA DE FREITAS E A ARTE REAL | Carlos Dugos…35

ANTÓNIO SÉRGIO, MEIO SÉCULO DEPOIS

O PROGRESSO NACIONAL NA OBRA SERGIANA | Carlos Mota…38

ANTÓNIO SÉRGIO: MORAL, CAPITALISMO, COOPERAÇÃO, TÉCNICA E O LIMIAR DE UMA NOVA ERA | João Príncipe…42

A ATITUDE MENTAL DO ENSAIO-PROÉMIO DA “HISTÓRIA DE PORTUGAL” DE ANTÓNIO SÉRGIO: ALGUMAS DIVAGAÇÕES | José Eduardo Reis…76

ANTÓNIO SÉRGIO, A CONTRALUZ | Renato Epifânio…82

OLAVO DE CARVALHO, AUTOR DE ARISTÓTELES EM NOVA PERSPECTIVA

ARISTÓTELES E A FILOSOFIA PORTUGUESA: O CONTRIBUTO DE OLAVO DE CARVALHO | Joaquim Domingues…88

DA FILOSOFIA ENQUANTO RADICALIDADE: OLAVO DE CARVALHO COMO EXPRESSÃO (IM)PREVISTA DO GRUPO DA FILOSOFIA PORTUGUESA | Pedro Vistas…93

OLAVO DE CARVALHO COMO FILÓSOFO: UMA ABORDAGEM INTEGRAL | Mário Chainho…100

OLAVO DE CARVALHO E O PENSAMENTO PÓS-MODERNO | João Maurício Brás…109

A VALIA DE OLAVO OU O VALOR DA IMPERTINÊNCIA | Carlos Aurélio…115

A AMBIGUIDADE DO OCIDENTE E O ESQUECIMENTO DO MUNDO LUSÍADA: SOBRE A POLÉMICA ENTRE OLAVO DE CARVALHO E ALEKSANDR DUGIN | Alexandre Franco de Sá…121

OUTROS VULTOS

ABRANCHES DE SOVERAL | António Braz Teixeira…128

ALMADA NEGREIROS | José Almeida…133

ANTERO DE QUENTAL | Nicolau Saião…135

ANTÓNIO OSÓRIO | António José Borges…137

ANTÓNIO TELMO | Carlos Aurélio…138

CLARICE LISPECTOR | Marta David…139

EDUARDO LOURENÇO | Paula Oleiro…140

EUNICE MUÑOZ | José Lança-Coelho…148

FERNANDO ECHEVARRÍA | António José Borges…149

JOSÉ-AUGUSTO FRANÇA | José Carlos Pereira…150

JOSÉ CARLOS RODRIGUES | José Maurício de Carvalho…154

MANUEL FERREIRA PATRÍCIO | Emanuel Oliveira Medeiros…156

MIGUEL TORGA | Annabela Rita…160

PEDRO TAMEN | António José Borges…163

Pe. ANTÓNIO VIEIRA | Brunello Natale De Cusatis…164

OUTROS VOOS

O CONTRIBUTO DA PEDAGOGIA PORTUGUESA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO ESTÉTICA | Artur Manso…174

MITOGÉNESE DA CIDADE DE DEUS: TEÓPOLIS E BELO MONTE | Bernard Emery…179

UMA CASA DA LUSOFONIA NA GALIZA | Daniel Lago Leirós…191

O MITO DE FAUSTO | Débora Domke Ribeiro Lima…193

EDUCAR, PENSAR E ESCREVER: DOAÇÃO DE SENTIDO E CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO | Emanuel Oliveira Medeiros…198

CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM – VERSUS E APONTAMENTOS PARA OS DILEMAS PEDAGÓGICOS DO SÉCULO XXI | Joaquim Pinto…202

DO TRABALHO E DO DINHEIRO | J.A. Alves Ambrósio…207

DA TRAVESSIA DO ESPÍRITO | Luís de Barreiros Tavares…209

NO MUNDO DAS LETRAS | Maria Afonso Sancho…210

VIDA ATIVA & ÓCIO: CONTRIBUTO PARA UMA ANTROPOLOGIA DA AÇÃO | Paulo Ferreira da Cunha…211

CARTA DE DIA DE REIS | Pedro Figueira…217

DEAMBULAÇÕES PRÓ-LUSÓFONAS | Renato Epifânio…219

AUTOBIOGRAFIA 10 | Samuel Dimas…224

EXTRAVOO

ENTREVISTA A PINHARANDA GOMES…244

BIBLIÁGUIO

A VIDA IMAGINADA; INTERROGAÇÃO E DISCURSO; A SAUDADE NA POESIA LUSÓFONA AFRICANA | Renato Epifânio…252

OS IRMÃOS ARRIAGA: FILOSOFIA, HISTÓRIA E LITERATURA | João Bosco Mota Amaral…253

ESTUDOS SOBRE ANTERO | António Braz Teixeira…254

MUDAR O MUNDO | Joel R. Gômez…261

PHILOSOPHIA E PHILOMYTHIA EM EUDORO DE SOUSA | Samuel Dimas…263

A VIA LUSÓFONA V | Fernando Dacosta…267

TABULA RASA III | Renato Epifânio…267

POEMÁGUIO

LIMA DE FREITAS | Renato Epifânio…7

MEDITAÇÃO DO MARQUÊS DE CHAMILLY | António José Queiroz…36

BANDEIRA; (GALGA MARES) | Luísa Borges…37

ONTEM | David Regueiras…86

ENTRE FOLHAS | Maria Leonor Xavier…86

CASA DO PENEDO; BOSQUE DE INVERNO | Manuel Dugos Pimentel…87

LAGOS ; FICO E NÃO | Jesus Carlos…173

AO CANIBAL | Jaime Otelo…242

PARA ANTÓNIO TELMO | Pedro F. Correia…242

TRANSPARÊNCIA ; VONTADE | Samuel Dimas…243

MADRESSILVA; A ESTRELA DO PASTOR E O SOL; CORES | Joel Henriques…250

SEVERA | Manoel Tavares Rodrigues-Leal…268

É SÓ ISSO NEM ISSO É | António José Borges…269

MORADAS: CADERNO POÉTICO E VISUAL

Poemas de José Carlos Pereira e Desenhos de Filipe Romão…270

MEMORIÁGUIO…280

MAPIÁGUIO…283

ASSINATURAS…283

COLECÇÃO NOVA ÁGUIA…286

Para encomendar: info@movimentolusofono.org