A Águia, órgão da Renascença Portuguesa, foi uma das mais importantes revistas do início do século XX em Portugal. No século XXI, a Nova Águia, órgão do MIL: Movimento Internacional Lusófono, tem sido cada vez mais reconhecida como "a única revista portuguesa de qualidade que, sem se envergonhar nem pedir desculpa, continua a reflectir sobre o pensamento português". 
Sede Editorial: Zéfiro - Edições e Actividades Culturais, Apartado 21 (2711-953 Sintra). 
Sede Institucional: MIL - Movimento Internacional Lusófono, Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa). 
Contactos: novaaguia@gmail.com ; 967044286. 

Donde vimos, para onde vamos...

Donde vimos, para onde vamos...
Ângelo Alves, in "A Corrente Idealistico-gnóstica do pensamento português contemporâneo".

Manuel Ferreira Patrício, in "A Vida como Projecto. Na senda de Ortega e Gasset".

Onde temos ido: Mapiáguio (locais de lançamentos da NOVA ÁGUIA)

Albufeira, Alcochete, Alcoutim, Alhos Vedros, Aljezur, Aljustrel, Allariz (Galiza), Almada, Almodôvar, Alverca, Amadora, Amarante, Angra do Heroísmo, Arraiolos, Assomada (Cabo Verde), Aveiro, Azeitão, Baía (Brasil), Bairro Português de Malaca (Malásia), Barcelos, Batalha, Beja, Belmonte, Belo Horizonte (Brasil), Bissau (Guiné), Bombarral, Braga, Bragança, Brasília (Brasil), Cacém, Caldas da Rainha, Caneças, Campinas (Brasil), Carnide, Cascais, Castro Marim, Castro Verde, Chaves, Cidade Velha (Cabo Verde), Coimbra, Coruche, Díli (Timor), Elvas, Ericeira, Espinho, Estremoz, Évora, Faial, Famalicão, Faro, Felgueiras, Figueira da Foz, Freixo de Espada à Cinta, Fortaleza (Brasil), Guarda, Guimarães, João Pessoa (Brasil), Juiz de Fora (Brasil), Lagoa, Lagos, Leiria, Lisboa, Loulé, Loures, Luanda (Angola), Mafra, Mangualde, Marco de Canavezes, Mem Martins, Messines, Mindelo (Cabo Verde), Mira, Mirandela, Montargil, Montijo, Murtosa, Nazaré, Nova Iorque (EUA), Odivelas, Oeiras, Olhão, Ourense (Galiza), Ovar, Pangim (Goa), Pinhel, Pisa (Itália), Ponte de Sor, Pontevedra (Galiza), Portalegre, Portimão, Porto, Praia (Cabo Verde), Queluz, Recife (Brasil), Redondo, Régua, Rio de Janeiro (Brasil), Rio Maior, Sabugal, Sacavém, Sagres, Santarém, Santiago de Compostela (Galiza), São Brás de Alportel, São João da Madeira, São João d’El Rei (Brasil), São Paulo (Brasil), Seixal, Sesimbra, Setúbal, Silves, Sintra, Tavira, Tomar, Torres Novas, Torres Vedras, Trofa, Turim (Itália), Viana do Castelo, Vigo (Galiza), Vila do Bispo, Vila Meã, Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Foz Côa, Vila Nova de São Bento, Vila Real, Vila Real de Santo António e Vila Viçosa.

domingo, 27 de novembro de 2022

5 de Dezembro: NOVA ÁGUIA voa até ao Algarve...

 05.12.22 – 15h30: Biblioteca Municipal de São Brás de Alportel

05.12.22 – 18h00: Galeria de Arte BeTween (Faro)

NOVA ÁGUIA nº 30: Capa, Editorial e Índice...

 

NOVA ÁGUIA Nº 30: ÍNDICE

Editorial…5

VII CONGRESSO DA CIDADANIA LUSÓFONA: A LUSOFONIA EM TEMPOS DE PÓS-PANDEMIA

Textos e Testemunhos de Adriano Moreira (p. 8), Duarte de Bragança (p. 9), Elter Manuel Carlos (p. 9), Ivonia Nahak Borges (p. 10), Lúcio Sanhá (p. 12), M. Vieira Pinto (p. 13), Maria Dovigo (p. 14), Óscar Guimarães (p. 15), Renato Samuel Lima (p. 17) e Francisco Ribeiro Telles (p. 18)

GILBERTO FREYRE: DO LUSO-TROPICALISMO À LUSOFONIA

DO “MANIFESTO REGIONALISTA” DE 1926 À “NOVA ESCOLA DO RECIFE” | António Braz Teixeira…20

CAMÕES VISTO POR GILBERTO FREYRE | António Leite da Costa…26

GILBERTO FREYRE EM VIAGEM PEL’O MUNDO QUE O PORTUGUÊS CRIOU | Artur Manso…31

“LUSOTROPICALIDADE” E O CULTO DO DIVINO ESPÍRITO SANTO | Carlos Dugos…40

TALVEZ POESIA (PERCURSOS POÉTICO-ANTROPOLÓGICOS DE GILBERTO FREYRE) | César Tomé…42

A “MODERNIDADE CONSERVADORA” EM ORDEM E PROGRESSO DE GILBERTO FREYRE (ALGUMAS REFLEXÕES) | Ernesto Castro Leal…52

A MODERNIDADE E A TRADIÇÃO EM GILBERTO FREYRE | Joaquim Domingues…59

REFLEXÃO SOBRE CASA GRANDE & SENZALA | Jorge Chichorro Rodrigues…68

A SOCIOLOGIA EXISTENCIAL DE GILBERTO FREYRE | José Esteves Pereira…72

GILBERTO FREYRE E A CULTURA, A NOVA ESCOLA DO RECIFE | José Maurício de Carvalho…78

GILBERTO FREYRE, INTÉRPRETE DO BRASIL | Samuel Dimas…85

GILBERTO FREYRE E LUÍS ANTÓNIO BARRETO: DUAS ANTROPOLOGIAS DO HOMEM BRASILEIRO | Alberto Antunes de Abreu…88

A LUSOFONIA ENQUANTO BLOCO GEO-LINGUÍSTICO, CULTURAL E POLÍTICO: ENTRE VAMIREH CHACON, GILBERTO FREYRE E AGOSTINHO DA SILVA | Renato Epifânio…98

NOS 100 ANOS DE JORGE BORGES DE MACEDO

O ENSINO DA HISTÓRIA EM JORGE BORGES DE MACEDO: TESTEMUNHO DE UMA ALUNA | Ana Leal de Faria…102

ACERCA DA HISTORIOGRAFIA DE JORGE BORGES DE MACEDO: CONSTANTES E LINHAS DE FORÇA | Álvaro Costa de Matos…105

A HISTÓRIA ECONÓMICA NA OBRA DE JORGE BORGES DE MACEDO | Luís Aguiar Santos…112

JORGE BORGES DE MACEDO: ENTRE A EUROPA E O ATLÂNTICO | Paulo Miguel Rodrigues…116

JORGE BORGES DE MACEDO: CONSIDERAÇÕES SOBRE A HISTÓRIA DA CULTURA | Raul Rasga…123

OUTROS VULTOS

ADRIANO MOREIRA | Renato Epifânio…126

ALCAIDE DE FARIA | Luís de Barreiros Tavares…127

CARLOS CARRANCA | Cândido Ferreira…129

GASTÃO CRUZ | António José Borges…131

GUERRA JUNQUEIRO | Lídia Machado dos Santos…133

JOÃO RUI DE SOUSA | António José Borges…136

JOSÉ-AUGUSTO FRANÇA | Nuno Sotto Mayor Ferrão…137

LYGIA FAGUNDES TELLES | Alva Martínez Teixeiro…145

OLIVEIRA SALES | Jorge A. H. Rangel…146

PAULA REGO | José Carlos Pereira…149

TEIXEIRA DE PASCOAES | Rodrigo Araújo…156

VIKTOR E. FRANKL | Emanuel Oliveira Medeiros…162

OUTROS VOOS

ELOGIO DO PAGANISMO | Antonio-Carlos Pereira Menaut…172

O NEGRO E A ESPERANÇA OU O ESPLENDOR DA HUMANIDADE | Artur Manso…176

UM EXÍMIO INSTRUMENTISTA CABO-VERDIANO, UM PROMOTOR DA EDUCAÇÃO MUSICAL E (INTER)CULTURAL | Elter Manuel Carlos…180

EDUCAÇÃO INTERCULTURAL, CIDADANIA E INCLUSÃO: DIREITOS HUMANOS E DIVERSIDADE CULTURAL | Emanuel Oliveira Medeiros…182

O QUE É SER PORTUGUÊS? | J.A. Alves Ambrósio…191

MARIANA DESDITADA, OU A ANATOMIA DE UMA CATARSE | Jaime Otelo…194

ONTOGNOSEOLOGIA DO SER PORTUGUÊS: UM ESBOÇO | João P. Barbosa…197

DEVANEIO SOBRE A BELEZA E A ARTE | João Seabra Botelho…201

BEHEMOTH VERSUS LEVIATÃ | Joaquim Pinto…203

SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DE PORTUGAL: AS INVASÕES FRANCESAS E PAÇO DE ARCOS | José Lança-Coelho…206

CIVILIZAÇÃO & DIREITO: FORÇA NORMATIVA DA ESPERANÇA | Paulo Ferreira da Cunha…207

PORTUGAL COMO VIAGEM | Pedro Vistas…210

DEAMBULAÇÕES PRÓ-LUSÓFONAS | Renato Epifânio…217

AUTOBIOGRAFIA 11 | Samuel Dimas…222

EXTRAVOO

A RAZÃO E A CLAREZA DA VIDA: ENTREVISTA A MÁRIO PEREIRA SOARES | Ivonia Nahak Borges…242

A GALIZA E A LUSOFONIA: CARTA | Joaquim Domingues…245

CARTA A JOSÉ SARAMAGO SOBRE O NOSSO MUNDO | António Nahak Borges…245

PERIÓDICOS ETERNOS

CORREIO BRAZILIENSE | Pedro Vistas…248

BIBLIÁGUIO

PENSAMENTO E MOVIMENTO | Renato Epifânio…256

O CÍRCULO DOS PLÁTANOS | Maria Leonor Xavier…256

SANTO ANTÓNIO DE LISBOA: PENSAMENTO E DEVOÇÃO | António Braz Teixeira…257

OBSERVAÇÃO DAS MARÉS: PRIMEIRO MANUAL DE DIREITO | João Caetano…260

IDENTIDADE NACIONAL – A CONDIÇÃO PORTUGUESA E A NOSSA LÍNGUA PÁTRIA | Jorge A. H. Rangel…264

PENSAR DE NOVO, PENSAR O NOVO: EM TEMPOS DE PANDEMIA | Renato Epifânio…266

O ELOGIO DA DUREZA | Helmut Siepmann…267

SE CANTO SÃO AS PALAVRAS | Risoleta Pinto Pedro…268

FAUST: FERNANDO PESSOA | António José Borges…272

PESSOA: UMA BIOGRAFIA | José Almeida…273

POEMÁGUIO

UCRÂNIA | Renato Epifânio…7

OS SENTIDOS; A REALIDADE | Samuel Dimas (com fotos de Matilde Paraíso)…6-7

O (IN)EXCEDIDO | Alexandre Teixeira Mendes…101

RUACH | Jesus Carlos…170

LEMBRO-ME DE TI | Manuel Dugos Pimentel…171

DIÁLOGO COM QUASE TUDO | António José Borges…240

OS OUTROS DOIS LADOS | Joel Henriques…241

TÉLOS | Luísa Borges…247

TERRA | Luísa Costa Macedo…247

CINCO POEMAS | Delmar Maia Gonçalves…255

LISBOA – 2022; LISBOA – 2072 | Jaime Otelo…275

MORADAS: CADERNO POÉTICO E VISUAL

LITANIA | Poemas de José Rui Teixeira; Fotografias de Luís Costa…276

MEMORIÁGUIO…282

MAPIÁGUIO…283

ASSINATURAS…283

COLECÇÃO NOVA ÁGUIA…286

29 de Novembro: próxima sessão do Curso "Filosofia e Culturas Lusófonas"

 


Repertório da bibliografia filosófica portuguesa

Para ler on-line: "Portugal-Goa"




Para ler:

Outras Obras:


Para ler:




Para ler:



Para ler:

COLECÇÃO NOVA ÁGUIA: JÁ COM MAIS DE 60 TÍTULOS




sábado, 26 de novembro de 2022

De Joaquim Domingues, com o apoio da NOVA ÁGUIA e do MIL: "Elucidário do estudante curioso"


Este Elucidário procura conjugar o vocabulário elementar e a sumária informação enciclopédica, que julgo adequados a qualquer estudante com suficiente curiosidade para ir além do que encontra nos manuais escolares.
Por abordar termos porventura menos conhecidos e se afastar por vezes das noções comuns, o seu uso exigirá algum esforço, o qual será por certo compensado pelo alargamento de perspectivas.
Aliás, espero que a leitura destas páginas desperte o interesse por mais amplos e melhores esclarecimentos, a procurar noutras fontes; como, por exemplo, as sugeridas nos excertos que acompanham algumas entradas...

Para encomendar: info@movimentolusofono.org

Para (re)ler: “Pensamento e Movimento”, de Pinharanda Gomes

 


- "Pensamento e Movimento", Lisboa, Fundação Lusíada/ MIL/ DG Edições, 2022, 133 pp.

ISBN: 978-989-53483-9-8


Para encomendar: info@movimentolusofono.org


Passado já mais de um par de anos sobre a sua partida, ainda nos é assaz difícil falar de Pinharanda Gomes sem uma profunda emoção. Sendo que a reedição desta obra não constitui, de todo, um gesto emocional.

Se um país se sustenta, em última instância, na sua Língua e Cultura, é a Filosofia que, a montante, mais profundamente anima a Cultura e a Língua. A essa luz, a reedição de Pensamento e Movimento, de Pinharanda Gomes, uma das obras mais filosóficas de todo o nosso século XX, é um serviço que prestamos à nossa Língua e Cultura. Não é, pois, um gesto emocional, antes um acto “cirúrgico”, sobretudo atendendo à nossa circunstância.

Numa época em que, com efeito, o exercício da filosofia em língua portuguesa é dissuadido no plano político (mais concretamente: no plano do financiamento público), é como nunca necessário dar a conhecer obras que realizam esse exercício da filosofia em língua portuguesa de forma particularmente luminosa.

Como recorda o próprio Pinharanda Gomes, os primeiros textos desta obra foram redigidos entre 1971 e 1972 – ou seja, há meio século. Meio século depois, esta obra, primeiramente publicada em 1974, permanece por inteiro actual e operativa. Por isso a entendemos republicar, naturalmente com a anuência da D. Judite da Conceição Santos, a sua companheira de sempre, e o apoio expresso do Dr. Abel Lacerda Botelho, Presidente da Fundação Lusíada, em mais uma edição conjunta com o MIL: Movimento Internacional Lusófono.

Numa época em que, de facto, Portugal está a ser filosoficamente colonizado, é premente partilhar obras como Pensamento e Movimento. Para nos ajudar, cada um de nós, a pensar – na nossa língua, única forma de nós realmente pensarmos. Para nos ajudar, cada um de nós, a mover-se – e assim a sair deste marasmo em que, culturalmente, Portugal se encontra. Gratos, pois, Pinharanda Gomes, por mais este teu serviço – a Portugal, a toda a Lusofonia. Gratos, enfim, ao Elísio Gala, nosso cúmplice desta reedição.

Renato Epifânio

Volume V d'A Via Lusófona...

 

Coligem-se aqui mais de meia centena de textos, todos eles, de forma mais ou menos directa, sobre a temática lusófona, textos que escrevemos nos últimos dois anos e que foram sendo publicados, de forma dispersa, em diversos jornais e revistas, bem como em outras plataformas digitais em que regularmente colaboramos. No seu conjunto, estes textos retratam bem – julgamos – os diversos planos em que a Lusofonia se deve cumprir: no plano cultural, desde logo, mas também nos planos social, económico e político. Só assim, cumprindo-se em todos estes planos, a Lusofonia – é nossa convicção – se cumprirá realmente e deixará de ser apenas um mote retórico e inconsequente, como ainda – importa reconhecê-lo – em grande medida é.


Para encomendar: info@movimentolusofono.org

Colecção Nova Águia: https://www.zefiro.pt/category/filosofia-nova-aguia

Outras obras promovidas pelo MIL: https://millivros.webnode.com/

Plataforma de Associações Lusófonas


No âmbito dos sete Congressos da Cidadania Lusófona já realizados, foi lançada a PALUS: Plataforma de Associações Lusófonas, visando agregar as Associações da Sociedade Civil (independentes nos planos governativo, partidário e religioso) de todo o Espaço da Lusofonia. Como já foi mil vezes reiterado, todos teremos a ganhar com a afirmação da Sociedade Civil. A nosso ver, essa afirmação será tanto mais forte quanto mais se realizar em rede, à escala de todo o Espaço da Lusofonia. Assim se afirmará, em última instância, a Sociedade Civil Lusófona, grande desígnio estratégico do Século XXI.  

Para mais informações:

21 Autores para a Filosofia Portuguesa do Século XXI



“21 Autores para a Filosofia Portuguesa do Século XXI”, in Letras ComVida: Literatura, Cultura e Arte, nº 4, 2º Semestre de 2011, pp. 18-66. 
https://2b434bd660.cbaul-cdnwnd.com/55972ade0135b6dbe03920fef94235b8/200000129-b9dcebad7f/Dossi%C3%AA%20Tem%C3%A1tico.pdf

MILhafre: um olhar lusófono sobre o mundo...



Já com mais de 722 MIL visitas:
www.mil-hafre.blogspot.com