EM TODO O PAÍS & MUNDO LUSÓFONO: LANÇAMENTOS NOVA ÁGUIA: REVISTA DE CULTURA PARA O SÉCULO XXI

Desde 2008, "a única revista portuguesa de qualidade que, sem se envergonhar nem pedir desculpa, continua a reflectir sobre o pensamento português".

A Águia foi uma das mais importantes revistas do início do século XX em Portugal, em que colaboraram algumas das mais relevantes figuras da nossa Cultura, como Teixeira de Pascoaes, Jaime Cortesão, Raul Proença, Leonardo Coimbra, António Sérgio, Fernando Pessoa e Agostinho da Silva.

A NOVA ÁGUIA pretende ser uma homenagem a essa tão importante revista da nossa História, procurando recriar o seu “espírito”, adaptado ao século XXI, conforme se pode ler no nosso
Manifesto.

Tal como n’ A Águia, temos tido o contributo das mais relevantes figuras da Cultura Lusófona...

Para o 27º número, os textos devem ser enviados até ao final de Dezembro.

Sede Editorial: Zéfiro - Edições e Actividades Culturais, Apartado 21 (2711-953 Sintra).
Sede Institucional: MIL - Movimento Internacional Lusófono, Palácio da Independência, Largo de São Domingos, nº 11 (1150-320 Lisboa).

Contactos: novaaguia@gmail.com ; 967044286.

Lançamento da NOVA ÁGUIA 25

Lançamento da NOVA ÁGUIA 25
10 de Março, no Palácio da Independência (na foto: Miguel Real, António Braz Teixeira, Renato Epifânio e Abel Lacerda Botelho). Para ver o vídeo, clicar sobre a imagem...

Para agendar um lançamento: novaaguia@gmail.com; 967044286.

MAPIÁGUIO (mapa de locais de lançamentos da NOVA ÁGUIA): Albufeira, Alcochete, Alcoutim, Alhos Vedros, Aljezur, Aljustrel, Allariz (Galiza), Almada, Almodôvar, Alverca, Amadora, Amarante, Angra do Heroísmo, Arraiolos, Assomada (Cabo Verde), Aveiro, Azeitão, Baía (Brasil), Bairro Português de Malaca (Malásia), Barcelos, Batalha, Beja, Belo Horizonte (Brasil), Bissau (Guiné), Bombarral, Braga, Bragança, Brasília (Brasil), Cacém, Caldas da Rainha, Caneças, Campinas (Brasil), Carnide, Cascais, Castro Marim, Castro Verde, Chaves, Cidade Velha (Cabo Verde), Coimbra, Coruche, Díli (Timor), Elvas, Ericeira, Espinho, Estremoz, Évora, Faial, Faro, Felgueiras, Figueira da Foz, Freixo de Espada à Cinta, Fortaleza (Brasil), Guimarães, João Pessoa (Brasil), Juiz de Fora (Brasil), Lagoa, Lagos, Leiria, Lisboa, Loulé, Loures, Luanda (Angola), Mafra, Mangualde, Marco de Canavezes, Mem Martins, Messines, Mindelo (Cabo Verde), Mira, Montargil, Montijo, Murtosa, Nazaré, Nova Iorque (EUA), Odivelas, Oeiras, Olhão, Ourense (Galiza), Ovar, Pangim (Goa), Pisa (Itália), Ponte de Sor, Pontevedra (Galiza), Portalegre, Portimão, Porto, Praia (Cabo Verde), Queluz, Recife (Brasil), Redondo, Régua, Rio de Janeiro (Brasil), Rio Maior, Sabugal, Sacavém, Sagres, Santarém, Santiago de Compostela (Galiza), São Brás de Alportel, São João da Madeira, São João d’El Rei (Brasil), São Paulo (Brasil), Seixal, Sesimbra, Setúbal, Silves, Sintra, Tavira, Tomar, Torres Novas, Torres Vedras, Trofa, Turim (Itália), Viana do Castelo, Vila do Bispo, Vila Meã, Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Foz Côa, Vila Nova de São Bento, Vila Real, Vila Real de Santo António e Vila Viçosa.

Nota: Muitos destes lançamentos, não só no país como por todo o espaço lusófono, só têm sido possíveis pelo apoio que a este projecto tem sido dado, desde a primeira hora, pelo MIL: Movimento Internacional Lusófono. O nosso público reconhecimento por isso. Desta forma, a NOVA ÁGUIA tem tido uma projecção não apenas estritamente nacional mas lusófona.

O "3º momento alto" da nossa tradição filosófico-cultural

O "3º momento alto" da nossa tradição filosófico-cultural
Ângelo Alves, "A Corrente Idealistico-gnóstica do pensamento português contemporâneo"

Manuel Ferreira Patrício, sobre o MIL e a NOVA ÁGUIA

Manuel Ferreira Patrício, sobre o MIL e a NOVA ÁGUIA
In AA.VV. "A Vida como Projecto. na senda de Ortega e Gasset", Universidade de Évora Edições, 2014, p. 13.

domingo, 29 de junho de 2008

Portugal será campeão em futebol sénior quando:

.
- Não tiver de jogar com (lista provisória e em constante actualização) Alemanha, Coreia do Sul, Dinamarca, Estados Unidos da América, França, Grécia, Itália, Marrocos, Polónia, Suíça…
- Tiver como treinador alguém que não use nem nunca tenha usado bigode.
- O seu patrocinador principal não for a GALP (porque a energia da «vontade de vencer» só deu mesmo para mover o autocarro e render mais uns milhões em lucros para aquela empresa).
- Os jogadores finalmente se convencerem (de preferência com um abaixo-assinado de âmbito nacional) de que, após termos experimentado, várias vezes, todos os tipos de derrota (não apuramento na qualificação, eliminação na fase de grupos, perder nos quartos de final, nas meias-finais e na final), estamos finalmente prontos, preparados, para vencer ao menos uma vez, para ganhar um troféuzinho, se isso não for um grande incómodo para «Suas Excelências».
- A selecção no seu todo for constituída por «soldados», e não por «mercenários» que não se mobilizam completamente pelo país por estarem a pensar mais nos milhões em salários que podem ganhar em clubes estrangeiros.
- Os adeptos - e (algum)a comunicação social - deixarem de fazer figuras ridículas, comportando-se como idiotas, e só festejarem quando houver um verdadeiro motivo para isso. Há coisas muito mais importantes do que onze gajos semi-analfabetos a correrem atrás de uma bola.
Hoje a Espanha tornou-se, mais uma vez (a segunda), campeã europeia de futebol, fazendo jus à sua reconhecida entrega ao jogo. Bem que os portugueses poderiam tomá-la como exemplo e retirar uma lição do Áustria-Suíça 08. Porém, isso é pouco provável. Quanto mais não seja porque nada aprenderam com os disparates de
2004...

5 comentários:

Klatuu o embuçado disse...

Só uma pergunta.

Acha que textos deste teor se enquadram nos propósitos deste blogue?

Anónimo disse...

Não?!

Anónimo disse...

Sim anónimo, claro que encaixam!

Assino: anónima

Klatuu o embuçado disse...

Não, não encaixam. Trivialidades não pensadas por um pingo de eternidade nenhuma relação estabelecem com o ideário da Nova Renascença.

Klatuu o embuçado disse...

P. S. Não tardará que o vosso júbilo infantil na sombra seja devolvido ao silêncio - digo isto porque sou vidente... :) ... e porque a sobrevivência das grandes ideias sempre se fez da união dos homens e não da birra de auto-presumida sabedoria de alguns.